Tudo o que está conectado com Deus é correto – Boletim 013 Julho 2011


Nosso amor deve dirigir-se definitivamente para Deus.
Somente por amor conseguiremos sair deste mundo, porque ppode entusiasmar alguém para acabar com a condição material. Por amor uma pessoa escolhe um caminho e um guia espiritual, e decide entregar o seu coração para eles. No entanto, todo esse amor também deve ser orientado para os outros, sem exceção.

Criando uma atmosfera de amor em casa, no trabalho, no templo, etc, é uma necessidade da alma.
O coração esta constantemente constantemente ansioso de entregar amor, e não dor. A raiva não vêm do amor, mas sim da tristeza. Por que nos nós sentimos tristes? porque não toleramos a frustração de viver sem Deus, é por isso que quando alguém está atolado em ira ou raiva somente temos que dar amor incondicional.

Se você não se importa com o que você tem, seguro de que você vai perder, isso se aplica a tudo que está ao seu redor. Não é que amamos alguém que não compreende o sentido da vida, tão pouco quem não é um devoto, devemos amar a todos igualmente. A compaixão deve ser sentida por todas as almas, e não apenas por algumas. Isso é um amor superior. Mas em algumas ocasiões o orgulho nos confunde e esquecemos a natureza da alma.

Como lutar contra o orgulho?
É um trabalho diário de auto-análise. Para fazer isso você deve procurar o refúgio daqueles que são mais avançados no processo espiritual e aceitar a sua orientação, porque a associação dos que têm um nível maior de rendição do coração é a salvação da vida. Basta apenas uma única ação para distancie a fé de uma pessoa para haver cometido uma ofensa muito grande, um aborto espiritual. Qualquer forma de desanimar a alguém em seu desejo de servir a Deus ou de avançar espiritualmente é o caminho seguro para acabar com o seu próprio processo.


Uma pessoa que busca a Deus deve harmonizar constantemente com os outros. Isso também significa aprender a calar-se quando necessário e aceitar as adversidades apresentadas. No entanto, quando encontras um pouco coberto pela ilusão material à procura de desculpas para "cobrir-se" ainda mais, essa é a raiz do problema. É bom estar mal com os outros, pelo contrário, isso somente significa sofrimento. O maltratar a outros pode ser considerado como uma doença.

A fórmula é: não se preocupar com o que acontece, assim mesmo que tudo esteja funcionando mal, isso não é motivo para fazer sentir mal para aos demais. Estar com raiva é um sintoma de ser mal agradecido. Recebemos tanta misericórdia e tudo tem sido perfeitamente arranjado pelo Senhor, que reclamamos de algo é somente apenas uma manifestação da falta de compreensão e amor que temos. Por tudo o que nos acontece é um ensinamento, um resultado da misericórdia de Deus. As dificuldades são um aspecto importante da vida, por isso devemos agradecer a todos aqueles que de uma maneira ou de outra, nos ensinam como devemos atuar.


Eu não gosto de obrigações, mas, devido aos compromissos que eu fiz na vida, eu tive que aceitar um monte de deveres. Uma pessoa que aceita responsabilidades pe alguém admirável, e assim cresce, se torna saudável e até mais feliz. Então, eu lhes recomendo que se comprometam intensamente e assumam responsabilidades com Deus e Seus servos. Podemos aceitar muitos compromissos com o sistema materialista, mas isso somente vai levar a um sanatório por causa de stress.

Este processo não é barato ou fácil de realizar, não se vêm frutos, se um segue o caminho do capricho, ao contrário, na missão de Srila Prabhupada todos têm a oportunidade de se tornar um devoto puro, mas não é algo automático, mas gradual e consciente. É algo que é ganhado com o suor do seu rosto e não o suor do da frente. Um pregador de coração sempre tenta entregar o melhor de si, custe o que custe e ele sempre vê as coisas do ponto de vista de todos, desta forma, somente precisa ser agradecido pelo que recebe.
Tudo o que está relacionado com o Divino é automaticamente benéfico para a humanidade, pelo contrário, tudo o que se afasta dele só causou estragos no planeta e seus habitantes.

Com muito afeto.

Swami B. A. Paramadvaiti